2 dias em Los Angeles

Finalmente vou falar sobre a última parte da viagem de janeiro!

Depois de Las Vegas e do Grand Canyon, demos uma esticada até a Califórnia para conhece Los Angeles!

A maior parte das pessoas com quem eu falei não se impressionaram muito por Los Angeles. A opinião geral era de que a cidade era muito comercial e pouco interessante para o turismo. Todo mundo reclama também do trânsito.

Tendo isso em mente, tomamos algumas decisões:

1) A gente não precisava ficar próximo à Las Vegas Boulevard. A localização central é boa para visitar a calçada da fama e o Chinese Theater, mas não pretendíamos gastar mais do que algumas horas nessa área, e ficar hospedado por ali, além de caro, só iria garantir muito trânsito para irmos em qualquer direção.

2) Deixamos para visitar a cidade no final de semana. Sábado e domingo o trânsito tende a ser mais leve, já que o horário de rush comercial deixa de ser um problema.

Eu queria muito visitar os estúdios da Warner, e o meu marido queria ir ao parque Six Flags, famoso por suas montanhas russas.

Somamos à programação uma ida à calçada da fama, Beverly Hills e Pier Santa Mônica, e nossos dois dias já estavam lotados!

Alugamos um carro em Las Vegas logo cedo e pegamos a estrada rumo a Los Angeles numa sexta feira. Em 4 horas e meia estávamos chegando no hotel.

A estrada é bem tranquila: pistas boas e largas atravessando o deserto. Percebi que não tinha iluminação nem muitos acostamentos, o que pode ser um problema pra quem viaja à noite, mas de manhã não tivemos contratempo algum.

Fizemos o check in no hotel: Amarano Burbank, em Burbank.

Pra quem não sabe, Los Angeles não é exatamente uma cidade, mas um agrupamento de cidades. Ou algo assim. Burbank fica em Los Angeles, mas é uma cidade do outro lado das colinas de Hollywood. Fica a uns 15 minutos de distância da Las Vegas Boulevard, mas já foge do tão mal falado trânsito de West Hollywood (onde fica a LV Boulevard).

A principal razão para termos escolhido essa região foi a proximidade dos estúdios da Warner e do parque Six Flags, que eram as programações prioritárias da viagem.

Voltando ao roteiro: deixamos as malas no hotel e fomos direto fazer o tour pelos Estúdios da Warner!

O tour leva cerca de 2 horas e a programação varia de acordo com os estúdios disponíveis para visitas. Conseguimos visitar os locais de gravação abertos, além dos estúdios do show da Ellen Degeneres e de Big Bang Theory (YAY!!). Não é permitido tirar fotos dentro dos estúdios por causa dos direitos autorais =/

Roupa do Batman no último filme

Roupa do Batman no último filme

No começo do tour o guia pergunta aos visitantes quais são seus shows favoritos, e tentam adaptar a visita para que atenda às preferências manifestadas.

Além disso, visitamos o famoso cenário de Friends, que é mantido montado apenas porque faz muito sucesso entre os turistas. O normal seria desmontar o cenário de uma série que já não é mais gravada há 10 anos (!!!), mas eles decidiram apenas transferir para um lugar em que o Central Perk pudesse ficar montado e os visitantes pudessem tirar uma foto no famoso sofá!

A famoso sofá de Friends no Central Perk

A famoso sofá de Friends no Central Perk

Também há uma espécie de Museu do Batman, onde ficam os batmóveis e outros equipamentos usados nos diversos filmes do morcego. Achei bem interessante descobrir que os carros realmente funcionam, não são apenas cenográficos!

batmovel museu warner

Batmóvel no museu da Warner

No Museu da Warner há itens dos filmes do Batman e do Harry Potter.

Chapéu seletor do Harry Potter. Como assim ele me colocou na Lufa-lufa? Eu seria uma ótima Corvinal!

Chapéu seletor do Harry Potter. Como assim ele me colocou na Lufa-lufa? Eu seria uma ótima Corvinal!

O tour termina na lojinha da Warner, onde dá vontade comprar tudo, mas a gente não levou nada =P

À noite fomos conhecer a tão famosa Las Vegas Boulevard, com sua calçada da fama e teatros famosos por tapetes vermelhos.

Não é um passeio demorado, porque não há tanto o que ver ali, mas me diverti um pouco procurado pegadas famosas na frente do Chinese Theater.

Pés e mãos do Samuel L Jackson

Pés e mãos do Samuel L Jackson

O sábado foi dedicado ao parque Six Flags, que fica a menos de 30 minutos de distância de Burbank.

Resumo do dia: montanha-russa. Montanha-russa de frente, de costas, de cabeça pra baixo, girando, caindo, rodando… Não vá se não gostar de montanhas-russas!

Six flags

Uma dica importante é comprar o bilhete antes da viagem, pela internet. Aí é só chegar lá e pegar uma fila pequenininha para trocar o voucher pelo ingresso. Pela internet há, ainda, um desconto considerável no preço!

Deixamos pra comprar lá e pegamos uma fila enorme. Ainda caímos no papo da senhora do caixa, que nos convenceu que o passe anual era o mesmo preço do passe de um dia. De fato era o mesmo preço, mas o passe anual exige um registro antes de entrar no parque, o que nos levou a OUTRA fila enorme – uma baita perda de tempo, já que obviamente eu não vou voltar ao parque em menos de um ano!

Enfim, não cometa meus erros.

Outra coisa que eu percebi é que o Six Flags não é nem de perto tão organizado quanto os parques da Disney. As filas têm plaquinhas com a previsão de tempo de espera para cada brinquedo, mas elas estavam quase sempre erradas! Na maior parte do tempo, esperamos muito mais tempo na fila do que o previsto.

E nem adianta tentar ir num dia mais calmo, como uma terça feira, para pegar menos filas: na maior parte do ano o parque só abre nos finais de semana.

À parte disso, se você gosta de montanha-russa, esse é o seu lugar! (Mas, pra falar a verdade, o “kabum” do Lex Luthor dá ainda mais medo do que qualquer montanha russa do parque).

No domingo tínhamos apenas a manhã livre, antes de voltar pra Vegas. Levantamos cedo e fomos conhecer Beverly Hills, com suas palmeiras imperiais, mansões e carrões.

Beverly Hills

Beverly Hills

Não encontramos a casa de nenhum famoso, mas não nos esforçamos muito também (sou uma péssima tiete).

De lá seguimos para o píer Santa Mônica, ver como é o mar do outro lado do continente. O parque de diversões do pier é cenário famoso em filmes da Califórnia, e mesmo não sendo nada demais (pelo menos não depois de ir ao Six Flags, né), tenho que admitir que a roda gigante fica charmosa à beira-mar.

Píer Santa Mônica

Píer Santa Mônica

Depois disso retomamos nosso caminho para os últimos dias da viagem a Las Vegas, já contados nesse post.

 

Em conclusão: Los Angeles vale a pena, sim, desde que você selecione bem quanto tempo ficar e o que realmente te interessa ver. Talvez não seja a cidade mais fácil de ser amada à primeira vista, mas nada que uma boa pesquisada no Google antes de organizar a viagem não resolva!

 

Alguém tem dicas imperdíveis de Los Angeles?

Só não me venha dizer que foi assistir a uma gravação de Big Bang Theory na Warner, porque eu tentei e não consegui (não houve gravação no período que estaríamos viajando), então eu vou morrer de inveja, ok? Rsrsrsrs

 

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.

Pele perfeita com os corretivos certos

Olá, Madames!!

Como vocês já devem saber, o maior segredo para uma maquiagem bonita é uma pele bem preparada.

tutorial corretivo pele perfeita

A gente cuida das manchinhas, limpa, hidrata, tonifica… faz o possível para que a pele fique bonita mesmo sem base.

Mas isso não é tão fácil, e mesmo com tudo isso é comum termos olheiras e manchas que não nos valorizam! Eu mesma brigo com as olheiras quase todos os dias (mentira, em brigo com elas todos os dias, sem exceção).

Resolvi, então, ensinar um passo a passo para deixar a pele bonita usando corretivos de tons diferentes para um acabamento mais bonito e natural. Como vocês vão perceber, eu não usarei base nenhuma, apenas corretivos.

A ideia inicial é: corrija tudo o que for necessário! Me acompanhe para aprender como!

1 – Cubra as olheiras e espinhas com um corretivo da cor da sua pele.

tutorial corretivo 1

Eu uso corretivos com fundo salmão para combater as olheiras amarronzadas. Se tiver dúvidas sobre o melhor tom para você, veja esse post.

Para aplicar o corretivo, uso os dedos, um pincel de corretivo ou o aplicador do próprio produto. Depois espalho com a Beauty Blender (a esponjinha rosa da foto). É só dar tapinhas com a esponja para dar acabamento.

2 – Use um corretivo mais claro que a sua pele em locais estratégicos.

tutorial corretivo 2 pele perfeita

Com um corretivo um pouco mais claro que a minha pele, faço um triângulo sob os olhos, o que ilumina o olhar.

Não preencho o triângulo porque o contraste do corretivo claro com o branco dos olhos dá a impressão de que estou pálida, e esse não é o objetivo. Por isso aplico apenas no canto interno, onde a olheira é mais escura, e faço o triângulo invertido, como na foto.

O corretivo claro também é aplicado:

I – no “C” das têmporas, que fica ao redor dos olhos;

II – sob e sobre a sobrancelha, para destacar sua forma;

III – na ponte do nariz e no centro da testa;

IV – sobre o “bigode chinês”, aqueles vincos que temos ao redor da boca, partindo do nariz. O corretivo claro compensa os pequenos vincos, dando uma impressão de preenchimento;

V – no centro do queixo.

Dê acabamento com a Beauty Blender.

Se achar necessário, reaplique o corretivo da cor da pele nos pontos em que manchas ainda estiverem visíveis, ou complemente com um pouco de base nas áreas não cobertas por corretivo nenhum. Eu acho desnecessário, uma vez que todas as imperfeições já estão cobertas!

3 – Use o bronzer (opaco) para fazer o contouring

tutorial corretivo 3 pele perfeitaSe tem dúvidas de como usar o bronzer, veja nesse post.

Com um pincel, eu aplico o bronzer logo abaixo do osso da bochecha. Na foto eu exagerei um pouco para ficar visível, mas essa aplicação pode ser bem sutil.

O bronzer nesse local complementa o blush e o iluminador, dando um efeito dimensional mais bonito.

Se desejar um contouring mais completo, analise suas necessidades: para rostos redondos, além das bochecas é possível aplicas nas laterais da testa e nos cantos do maxilar, para afinar o rosto.

Para quem tem o rosto mais alongado, a aplicação pode ser feita no alto da testa e abaixo do queixo.

4 – Com um corretivo claro ou iluminador, desenhe um “C” ao redor dos olhos.

tutorial corretivo 4 pele perfeitaAplique o corretivo claro ou o iluminador em “C” ao redor dos olhos, como na foto. Espalhe com a esponjinha e complete com o blush.

Se tiver dúvida sobre onde aplicar o blush, o bronzer e o iluminador, reveja esse post.

 

O resultado será algo mais ou menos assim:

tutorial corretivo 5 pele perfeitaPerceba que as olheiras e manchas sumiram, e a pele fica com um aspecto uniforme.

 

A partir daí sua “tela” está pronta, é só completar com a sua pintura preferida! Mesmo uma maquiagem básica de rímel + batom vai ficar muito mais bonita agora que a pele está pronta!

tutorial corretivos pele perfeita

Maquiagem completa

 

Produtos usados

Para preparar a pele, eu usei os seguintes produtinhos:

DSC04125

 

Corretivo líquido NARS nas cores Biscuit (para cobrir as olheiras) e Honey (tom mais claro).

Corretivo líquido Make B. O Boticário no tom bege claro para iluminar o “C” ao redor dos olhos.

Blush MAC na cor Harmony, como Bronzer.

Blush MAC na cor Peaches, como blush mesmo.

Opcional: iluminar com um iluminador em pó brilhoso. O da foto é o Gold Deposit da MAC, mas não foi usado nesse tutorial.

 

Gostaram?

Ficaram com alguma dúvida?

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.

 

 

Compartilhando: 10 ruas verdes incríveis ao redor do mundo (por nomadesdigitais.com)

Passeando no Blog Nômades Digitas vi um post que merecia ser compartilhado:

10 RUAS VERDES INCRÍVEIS PARA SE CONHECER AO REDOR DO MUNDO

Pra babar um pouco com lugares longe de casa (ou nem tão longe assim)

1. Cumberland Street, Washington DC, EUA

6338558934_1cda50b7a0_b

2. Rua 053 (Hollywood North) Bonn, Alemanha

bonn

 3. Rua em Estocolmo, Suécia

cherry_blossom_in_sweden_viii_by_madebyrf-d3f6wzz

4. Viela em Molyvos, Lesvos, Grécia

grecia

5. Rua Gonçalo de Carvalho, Porto Alegre, Brasil

green-tunnel-street-rua-goncalo-de-carvalho-brazil-1

6. Colégio Franciscano em Gormanston, Irlanda

ireland

7. Floresta Sagano Bamboo em Arashiyama, Kioto, Japão

kyoto

8. Jacarandás numa avenida em Grafton, Nova Gales do Sul, Austrália
nswaustralia 9. Rua em Spello, Umbria, Itália
spello1 10. Túnel do Amor, na Ucrânia

tuneldoamor

 

Já conhece alguma delas? Deu vontade conhecer TODAS??

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.

Escolha suas armas: linha d’água bege ou preta?

Olá, Madames!!

Sempre que faço uma maquiagem para os olhos uso alguma cor na linha d’água: para maquiagens leves uso o lápis bege, e para olhos mais marcados costumo usar um delineador em gel preto.

Eu gosto dos dois efeitos, mas às vezes é bom saber qual é o seu objetivo antes de pintar a linha dos olhos.

Ao usar preto no contorno dos olhos você dá um destaque maior para eles, principalmente pelo contraste com a parte branca do olho. Por outro lado, você também destaca o formato do seu olho, fazendo-o parecer menor. 

O lápis bege, por outro lado, é mais sutil: apenas clareia um pouco uma região que já é rosada, uniformizando as cores. Por trazer mais iluminação, dá uma sensação de que os olhos são um pouco maiores, já que o contorno deles fica menos evidente.

Por isso, se você acha que tem olhos grandes, contorná-los por dentro com preto pode dar uma sensação de olhos menores, enquanto pessoas que se incomodam com os olhos pequenos podem tentar dar uma ilusão de olhos maiores com lápis bege na linha d’água. Há também alguns truques de maquiagem para fazer os olhos parecerem maiores, mas isso é assunto pra outro post.

Pra mostrar um pouco a diferença de efeito entre as duas cores, veja a foto abaixo: eu fiz exatamente a mesma maquiagem nos dois olhos, mas no lado esquerdo contornei a linha d’água com preto, enquanto no lado direito a linha d’água está bege e limpa, sem cores na parte inferior do olhos (clique na foto para aumentar).

linha d'água preta e begeE aí? Conseguem ver a diferença?

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.

Batom vermelho fácil de passar: Velvet Matte Lip Pencil da NARS

Gente, como eu disse há alguns dias no facebook (ainda não curtiu a página? Clique aqui para curtir!), estou apaixonada pelo meu novo batom vermelho!

Velvet Matte Lip Pencil da marca NARS, na cor Mysterious Red.

Em meus passeios pela Sephora adquiri um Velvet Matte Lip Pencil da marca NARS, na cor Mysterious Red.

Nars Misteryous Red Velvet Matte

E o que tem demais? Não é só mais um batom vermelho?

Não exatamente.

As duas grandes vantagens desse batom são: é mate, que eu acho lindo, e em lápis, o que facilita muito a aplicação!

Lembram do post sobre como passar batom escuro? Tem todo um passo a passo para você conseguir fazer o desenho da boca bem certinho sem ficar parecendo que beijou um palhaço.

Só que com o batom em lápis o passo a passo fica muito mais simples, porque você tem muito mais controle sobre onde passar a cor, o que te permite fazer o desenho da boca sem grandes dificuldades! Se for seguir as instruções daquele post, pode pular direto pros passos 7 e 8 (opcionais).

Comparação de cores: Ruby Woo, da MAC, à esquerda, e Misteryous Red, da NARS, à direita.

Comparação de cores: Ruby Woo, da MAC, à esquerda, e Misteryous Red, da NARS, à direita.

Além disso, mesmo sendo Mate ele é bem mais macio do que um Ruby Woo da MAC – que eu amo, mas dá um trabalhão pra passar porque é muito seco.

Também por ser mate, ele tem uma pigmentação muito boa e fixação interessante! Em termos de fixação ele não é tão incrível como o Ruby Woo, mas ganha fácil de outros batons vermelhos que eu tenho.

Batom depois do almoço: não fica intacto, mas não chega a ser um desastre!

Batom depois do almoço: não fica intacto, mas não chega a ser um desastre!

Depois de tirar o excesso, ele transfere muito pouco, o que também é raro em batons vermelhos.

Teste de transferência do batom num lenço de papel.

Teste de transferência do batom num lenço de papel.

Ou seja, batom bonito, arrasador e fácil de passar!

Só não estou mais apaixonada porque o preço não colabora comigo: R$105,00 na Sephora (ou $25 na terra do Tio Sam). Ainda assim, é mais barato do que comprar o combo batom + lápis da MAC, por exemplo.

Pra quem estiver com dificuldades de passar batom escuro, esse pode ser um grande aliado!

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.

Piranho

Oi, gente!

Vim aqui rapidinho pra compartilhar um vídeo recente do grupo Porta dos Fundos, que eu achei o máximo!

Com vocês, Piranho:

As coisas ficam diferentes quando os papéis estão invertidos, não é?

Talvez se os homens estivessem sujeitos ao mesmo tipo de assédio que as mulheres estão, pensariam duas vezes antes de fazer “só uma brincadeirinha”.


Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.