Alemanha no Verão: Rota Romântica (parte 2: Augsburg e outras cidades)

Olá, Madames e Monsieurs!!

Se vocês estão me acompanhando nesse roteiro, já viram os posts sobre Paris (aqui e aqui), sobre as dicas para a Alemanha e sobre a primeira parte da Rota Romântica.

Agora vamos seguir nossa Rota: saindo de Rothenburg od der Tauber logo após o café da manhã, pegamos a estrada B-25 (rota romântica) até Augsburg, parando em algumas cidadezinhas pelo caminho.

Nossa primeira parada foi…

Dinkelsbühl

Cidadezinha medieval construída entre muros, com arquitetura tradicional e cenário fofo!

A cidade é realmente uma graça, com suas casinhas com madeira exposta e flores nas janelas.

Rua do centro de Dinkelsbühl

Rua do centro de Dinkelsbühl

Passamos algumas horas na cidade, e deu pra ver que eles estavam organizando algum festival: havia pessoas com roupas medievais andando pelas ruas, e algumas arquibancadas montadas nas calçadas.

Arquitetura tradicional em Dinkelsbühl

Arquitetura tradicional em Dinkelsbühl

Infelizmente, não ficamos para ver, mas dizem que esses festivais das cidadezinhas do interior são muito animados!!

Cavalinhos alemães loiros namorando na rota romântica! Oowwwnn =)

Cavalinhos alemães loiros namorando na rota romântica! Oowwwnn =)

Se você for passar a noite por aqui, pode aproveitar uma tradição da cidade:  todas as noites, um vigia sobe a torre da igreja Saint Georg e grita lá do alto para avisar que a cidade não está sofrendo nenhuma ameaça. As encenações acontecem entre as 22h e meia noite, de meia em meia hora. Na época medieval, a cidade era alvo constante de ataques e incêndios. Por 1 euro você também pode subir as escadarias de madeira da torre para ver a cidade de cima.

Nördlingen

Saindo de Dinkelsbühl, continuamos nossa rota até pararmos em Nördlingen, outra cidade medieval intramuros.

A essa altura percebemos que as cidades estavam ficando um pouco iguais umas às outras, e eu já não via mais tantas novidades pelas ruas.

A cidade estava um pouco parada também, então não foi tão animado quanto as outras. Descobrimos que boa parte da graça dessas cidadezinhas são as pessoas vivendo suas vidas pacatas naquelas cidades de contos de fadas.

É como andar no vilarejo da Bela, do desenho a Bela e a Fera… “tudo é igual, nesta minha aldeia, sempre está, nesta mesma paz, de manhã, todos se levantam, prontos pra dizer… Bonjour!!”

Vilarejo de "A Bela e a Fera"

Vilarejo de “A Bela e a Fera”

OBS: eu sei que o vilarejo da Bela é na França, mas deve ser da região de Alsácia, com forte influência alemã – afinal o clima e a arquitetura são muito semelhantes!

Augsburg

Parando de divagar, seguimos nossa viagem até Augsburg, onde dormiríamos.

Por tudo o que eu tinha lido, eu achei que a cidade seria a mais sem graça do roteiro. Felizmente, estava errada!

Uma das avenidas no centro de Augsburg.

Uma das avenidas no centro de Augsburg.

Augsburg é uma cidade um pouco maior, seus traços tradicionais já se misturam com avenidas mais largas, características de uma das maiores cidades da Baviera. Augsburg foi fundada em 15 a.C, o que lhe garante o título de segunda cidade mais antiga da Alemanha.

Uma parte interessante da história da cidade remete à família Fugger. Ricos comerciantes da Idade Média, a família construiu, por volta de 1500, um complexo com 140 apartamentos e 67 casas chamado Fuggerei com a finalidade abrigar as pessoas carentes da cidade. As únicas condições exigidas para poder morar nos apartamentos eram ser de “boa índole”, ser trabalhador e católico.

O aluguel cobrado era simbólico: o morador deveria pagar anualmente alguns centavos de seu dia de trabalho, além de rezar três vezes por dia um Pai-Nosso e uma Ave-Maria em homenagem à família Fugger. Um ponto interessante é que as apartamentos ainda existem e abrigam moradores de baixa renda, o aluguel nunca foi reajustado, sendo hoje aproximadamente 0,88 euros por ano.

Além da história, a cidade conta com ruas agradáveis, comércio interessante e bons restaurantes. O centro histórico pode ser percorrido a pé, dispensando o uso do carro após chegar à cidade.

Tivemos sorte de encontrarmos um festival acontecendo na praça da prefeitura, com apresentações de música, dança, teatro e outras coisas! Foi muito agradável e passamos algumas horas ali assistindo aos talentosos europeus (tinha gente de vários lugares da Europa, não só da Alemanha).

Jantamos em um agradável restaurante próximo à praça da prefeitura, chamado Perlach Acht. Havia lido algumas boas referências e fiz a reserva. Chegando lá, o restaurante parecia meio sem graça – estava mais para um café do que um restaurante mesmo. Mas, como estávamos com a reserva feita, entramos.

Mais uma vez fui positivamente surpreendida! No fundo do restaurante havia um pequeno jardim com mesinhas, um cardápio enxuto mas gostoso, e vinhos agradáveis para acompanhar o jantar. Que noite agradável!

Um timtim ao Perlach Acht!

Um timtim para o Perlach Acht!

Depois do jantar ainda voltamos para assistir mais um pouco do festival, já que os dias no verão rendem muito (o sol se põe quase 22h!!).

Festival de Augsburg

Festival de Augsburg

E assim terminou mais um dia na nossa viagem pela Rota Romântica da Baviera!

Daqui, seguimos para Füssen, no extremo sul do país, para visitar o castelo da Cinderela e aproveitar nosso último dia pelas lindas cidadezinhas do interior do sul da Alemanha.

Não percam os próximos posts!

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.

620

One Reply to “Alemanha no Verão: Rota Romântica (parte 2: Augsburg e outras cidades)”

  1. Pingback: Praga: o que saber antes de ir – Madame Brum

Deixe uma resposta