2 dias em Los Angeles

Finalmente vou falar sobre a última parte da viagem de janeiro!

Depois de Las Vegas e do Grand Canyon, demos uma esticada até a Califórnia para conhece Los Angeles!

A maior parte das pessoas com quem eu falei não se impressionaram muito por Los Angeles. A opinião geral era de que a cidade era muito comercial e pouco interessante para o turismo. Todo mundo reclama também do trânsito.

Tendo isso em mente, tomamos algumas decisões:

1) A gente não precisava ficar próximo à Las Vegas Boulevard. A localização central é boa para visitar a calçada da fama e o Chinese Theater, mas não pretendíamos gastar mais do que algumas horas nessa área, e ficar hospedado por ali, além de caro, só iria garantir muito trânsito para irmos em qualquer direção.

2) Deixamos para visitar a cidade no final de semana. Sábado e domingo o trânsito tende a ser mais leve, já que o horário de rush comercial deixa de ser um problema.

Eu queria muito visitar os estúdios da Warner, e o meu marido queria ir ao parque Six Flags, famoso por suas montanhas russas.

Somamos à programação uma ida à calçada da fama, Beverly Hills e Pier Santa Mônica, e nossos dois dias já estavam lotados!

Alugamos um carro em Las Vegas logo cedo e pegamos a estrada rumo a Los Angeles numa sexta feira. Em 4 horas e meia estávamos chegando no hotel.

A estrada é bem tranquila: pistas boas e largas atravessando o deserto. Percebi que não tinha iluminação nem muitos acostamentos, o que pode ser um problema pra quem viaja à noite, mas de manhã não tivemos contratempo algum.

Fizemos o check in no hotel: Amarano Burbank, em Burbank.

Pra quem não sabe, Los Angeles não é exatamente uma cidade, mas um agrupamento de cidades. Ou algo assim. Burbank fica em Los Angeles, mas é uma cidade do outro lado das colinas de Hollywood. Fica a uns 15 minutos de distância da Las Vegas Boulevard, mas já foge do tão mal falado trânsito de West Hollywood (onde fica a LV Boulevard).

A principal razão para termos escolhido essa região foi a proximidade dos estúdios da Warner e do parque Six Flags, que eram as programações prioritárias da viagem.

Voltando ao roteiro: deixamos as malas no hotel e fomos direto fazer o tour pelos Estúdios da Warner!

O tour leva cerca de 2 horas e a programação varia de acordo com os estúdios disponíveis para visitas. Conseguimos visitar os locais de gravação abertos, além dos estúdios do show da Ellen Degeneres e de Big Bang Theory (YAY!!). Não é permitido tirar fotos dentro dos estúdios por causa dos direitos autorais =/

Roupa do Batman no último filme

Roupa do Batman no último filme

No começo do tour o guia pergunta aos visitantes quais são seus shows favoritos, e tentam adaptar a visita para que atenda às preferências manifestadas.

Além disso, visitamos o famoso cenário de Friends, que é mantido montado apenas porque faz muito sucesso entre os turistas. O normal seria desmontar o cenário de uma série que já não é mais gravada há 10 anos (!!!), mas eles decidiram apenas transferir para um lugar em que o Central Perk pudesse ficar montado e os visitantes pudessem tirar uma foto no famoso sofá!

A famoso sofá de Friends no Central Perk

A famoso sofá de Friends no Central Perk

Também há uma espécie de Museu do Batman, onde ficam os batmóveis e outros equipamentos usados nos diversos filmes do morcego. Achei bem interessante descobrir que os carros realmente funcionam, não são apenas cenográficos!

batmovel museu warner

Batmóvel no museu da Warner

No Museu da Warner há itens dos filmes do Batman e do Harry Potter.

Chapéu seletor do Harry Potter. Como assim ele me colocou na Lufa-lufa? Eu seria uma ótima Corvinal!

Chapéu seletor do Harry Potter. Como assim ele me colocou na Lufa-lufa? Eu seria uma ótima Corvinal!

O tour termina na lojinha da Warner, onde dá vontade comprar tudo, mas a gente não levou nada =P

À noite fomos conhecer a tão famosa Las Vegas Boulevard, com sua calçada da fama e teatros famosos por tapetes vermelhos.

Não é um passeio demorado, porque não há tanto o que ver ali, mas me diverti um pouco procurado pegadas famosas na frente do Chinese Theater.

Pés e mãos do Samuel L Jackson

Pés e mãos do Samuel L Jackson

O sábado foi dedicado ao parque Six Flags, que fica a menos de 30 minutos de distância de Burbank.

Resumo do dia: montanha-russa. Montanha-russa de frente, de costas, de cabeça pra baixo, girando, caindo, rodando… Não vá se não gostar de montanhas-russas!

Six flags

Uma dica importante é comprar o bilhete antes da viagem, pela internet. Aí é só chegar lá e pegar uma fila pequenininha para trocar o voucher pelo ingresso. Pela internet há, ainda, um desconto considerável no preço!

Deixamos pra comprar lá e pegamos uma fila enorme. Ainda caímos no papo da senhora do caixa, que nos convenceu que o passe anual era o mesmo preço do passe de um dia. De fato era o mesmo preço, mas o passe anual exige um registro antes de entrar no parque, o que nos levou a OUTRA fila enorme – uma baita perda de tempo, já que obviamente eu não vou voltar ao parque em menos de um ano!

Enfim, não cometa meus erros.

Outra coisa que eu percebi é que o Six Flags não é nem de perto tão organizado quanto os parques da Disney. As filas têm plaquinhas com a previsão de tempo de espera para cada brinquedo, mas elas estavam quase sempre erradas! Na maior parte do tempo, esperamos muito mais tempo na fila do que o previsto.

E nem adianta tentar ir num dia mais calmo, como uma terça feira, para pegar menos filas: na maior parte do ano o parque só abre nos finais de semana.

À parte disso, se você gosta de montanha-russa, esse é o seu lugar! (Mas, pra falar a verdade, o “kabum” do Lex Luthor dá ainda mais medo do que qualquer montanha russa do parque).

No domingo tínhamos apenas a manhã livre, antes de voltar pra Vegas. Levantamos cedo e fomos conhecer Beverly Hills, com suas palmeiras imperiais, mansões e carrões.

Beverly Hills

Beverly Hills

Não encontramos a casa de nenhum famoso, mas não nos esforçamos muito também (sou uma péssima tiete).

De lá seguimos para o píer Santa Mônica, ver como é o mar do outro lado do continente. O parque de diversões do pier é cenário famoso em filmes da Califórnia, e mesmo não sendo nada demais (pelo menos não depois de ir ao Six Flags, né), tenho que admitir que a roda gigante fica charmosa à beira-mar.

Píer Santa Mônica

Píer Santa Mônica

Depois disso retomamos nosso caminho para os últimos dias da viagem a Las Vegas, já contados nesse post.

 

Em conclusão: Los Angeles vale a pena, sim, desde que você selecione bem quanto tempo ficar e o que realmente te interessa ver. Talvez não seja a cidade mais fácil de ser amada à primeira vista, mas nada que uma boa pesquisada no Google antes de organizar a viagem não resolva!

 

Alguém tem dicas imperdíveis de Los Angeles?

Só não me venha dizer que foi assistir a uma gravação de Big Bang Theory na Warner, porque eu tentei e não consegui (não houve gravação no período que estaríamos viajando), então eu vou morrer de inveja, ok? Rsrsrsrs

 

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.