Praga: praça do relógio astronômico

Olá, Madames e Monsieurs!!

No post anterior eu expliquei algumas coisinhas que você deve saber para preparar sua viagem para Praga.

Agora vamos ao que interessa: o que fazer na cidade!

A primeira coisa que eu devo avisar é: estive em Praga por três dias, durante um final de semana de verão.

Não sei como é a cidade no resto do ano, mas no período que estive lá a cidade transbordava vida, alegria e juventude! Festivais ocupavam toda a cidade, jovens mochileiros dividiam cervejas e doritos sentados no chão da praça, feiras de artesanato pipocavam e os bares estavam sempre cheios.

A felicidade geral era contagiante!

Praça do relógio astronômico (Orloj)

O centro velho da cidade, ou “cidade velha”, é a região ao redor da praça do relógio.

Pessoal sentado na praça no fim da tarde, ouvindo os músicos locais e batendo papo.

Pessoal sentado na praça no fim da tarde, ouvindo os músicos locais e batendo papo.

A praça leva esse nome devido ao relógio astronômico que adorna a torre da antiga prefeitura. Dizem que foi construído em 1410, e a lenda local conta que o relojoeiro responsável pela sua construção teria sido posteriormente cegado para nunca mais conseguir produzir um relógio tão belo quanto aquele.

Relógio astronômico em Praga. Neste dia, um casal de noivos fazia suas fotos sob o relógio!

Relógio astronômico em Praga. Neste dia, um casal de noivos fazia suas fotos sob o relógio!

De hora em hora há uma pequena apresentação de bonecos na torre do relógio. Todos os guias sobre a cidade vão citar esse “evento”, mas eu já adianto: não perca seu tempo. Não tem a menor graça!! Se estiver no local em alguma hora redonda, você verá o showzinho dos bonecos, mas eu aconselho prestar mais atenção em outra coisa, mais interessante (na minha opinião):

Uma grande massa de turistas que se acumula ao redor do relógio, esperando a apresentação de bonecos. Assim que ela começa, centenas de celulares se erguem instantaneamente para filmar. Ao fim da apresentação, alguns batem tímidas palmas, outros se entreolham com uma cara confusa e incrédula, do tipo “é isso mesmo?” e outros reclamam com os que estão do lado sobre a grande decepção que é essa pequena procissão de bonecos que saem do relógio apenas para voltar para dentro novamente.

Não me entendam mal: o negócio não seria tão ruim se não fossem as altas expectativas que os guias costumam criar nos viajantes. Classificar isso como “imperdível” é desperdício de adjetivo!

De volta à praça: ela é cercada por prédios de diversos estilos arquitetônicos, tão lindos que parecem casas de bonecas, além de diversos restaurantes, cafés e lojas de cristais. No centro da praça estava ocorrendo um festival de música, com diversos cantores e grupos se apresentando ao longo dos três dias que estivemos por lá!

Praça à noite. Repare na Igreja que tem seu acesso fechado pelos prédios da praça - é preciso passar por dentro deles para chegar à Igreja!

Praça à noite. Repare na Igreja que tem seu acesso fechado pelos prédios da praça – é preciso passar por dentro deles para chegar à Igreja!

Ao fim da tarde grupos de jovens se sentavam em círculos no meio da praça para dividir uma cerveja, refrigerante ou um salgadinho qualquer enquanto batiam papo.

Alguns artistas de rua também se apresentavam por ali, seja fazendo pinturas ou bolhas de sabão.

Sem dúvida, um lugar cheio de vida que merece a atenção do turista!

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.

Deixe uma resposta