Verão na Alemanha: Munique (parte II) – BMW e Jardim Inglês

Bom dia, Madames e Monsieurs,

Dando continuidade ao post anterior sobre o meu roteiro de viagem pela Alemanha, vamos ao nossos terceiro e quarto dias em Munique, dedicados à fábrica da BMW e ao Jardim Inglês!

A Fábrica, Museu e Loja da BMW

Um dos (muitos) pontos altos da viagem foi a visita à Fábrica da BMW!

Na BMW Welt se encontram, juntos, o museu da BMW, uma loja com exposição dos carros à venda, e a fábrica.

Não fomos ao museu, mas quanto aos outros dois, eu diria que são imperdíveis para quem gosta de carros ou de tecnologia (ainda que não entenda muito sobre nenhum dos dois, como eu)!

BMW Welt

BMW Welt

No grande hall da BMW Welt estão os carros e motos atualmente à venda pela marca – incluindo os modelos elétricos e os últimos lançamentos.

Carros que foram usados em alguns filmes também estão expostos para tirarmos fotos!

BMW i8

BMW i8 – elétrico recém lançado pela marca na época da viagem

No hall há ainda uma área destinada ao Mini Cooper, uma loja de lembranças, uma pista de testes para os compradores, entre outras coisas.

Mas o passeio pela modernidade fica ainda mais interessante para aqueles que participam do passeio guiado pela fábrica da BMW.

Em pequenos grupos e sempre com um guia, passeamos por boa parte da fábrica vendo o processo de fabricação dos carros, desde o chassi até a colocação do encosto de cabeça dos bancos de couro personalizados!

Sendo leiga nesses assuntos, fiquei maravilhada com o balé de robôs construindo passo a passo uma série de carros que serão desejados mundo afora.

Segundo o guia, mais de 90% do processo de fabricação é automatizado. Um carro só é construído naquela fábrica após ter sido vendido – todos os veículos que saem de lá já possuem um dono certo.

Após a compra, a matéria prima é encomendada pela fábrica e entregue em três dias. O processo de fabricação leva menos de 2 dias – na realidade, um carro é produzido em 24 horas líquidas!!!

Não era permitido tirar fotos dentro da fábrica, por isso vou ficar devendo imagens para vocês.

Os passeios são feitos apenas em inglês e devem ser reservados pelo telefone – são poucas vagas, por isso é necessário reservar com antecedência. O BMW Plant Tour dura cerca de 2 horas e meia (que passam voando) e custa 8 euros por pessoa.

Para mais informações, clique aqui.

Jardim Inglês

No nosso último dia em Munique decidimos fazer o tour de bicicleta com o Mike’s Bike Tour.

O tour clássico tem a duração de 4 horas e passa por diversos pontos interessantes da cidade, com a vantagem de ter um guia local te contando a história de cada um dos famosos pontos.

Alguns lugares, apesar de bonitos, só ficam interessantes quando você conhece a história do local, e às vezes é difícil conhecer toda a história envolvida em cada ponto turístico apenas através de livros e sites de internet – ter alguém, no lugar mostrando e apontando tudo o que aconteceu naquela pracinha aparentemente sem importância ajuda a visualizar a história e a importância dos eventos da cidade!

Lembrando que Munique foi o berço do Nazismo, e a história de ascensão de Hitler deixou suas marcas na cidade.

Perto do final do tour, pedalamos pelo Englischer Garten (jardim inglês) até a Chinesische Turm (Torre Chinesa), onde uma estrutura em forma de pagoda Chinesa abriga um Biergarten muito agradável! Chopp Hofbräuhaus disponível, bem como salsichas, batatas, repolhos, porco e frango para alimentar qualquer estômago alemão!

Biergarten na torre Chinesa, no Jardim Inglês

Biergarten na torre Chinesa, no Jardim Inglês

O jardim inglês tem esse nome por ser um grande parque urbano nos moldes dos jardins da Inglaterra, com grandes áreas gramadas onde as pessoas se esticam à tarde para tomar sol – muitas vezes sem roupa alguma!

Diversos pontos interessantes (como a torre Chinesa) estão espalhados pelo parque. Belas construções, restaurantes, cafés, e até um lago com pedalinhos ocupam a área sua do parque, com cerca de 2 km de extensão. A parte norte, muito maior, pode ser considerada menos turística.

Mas um ponto do parque merece a visita ainda que você não planeje explorá-lo: há um rio onde as pessoas fazem fila para surfar na onde que se forma em um ponto específico. Como a onda não se desfaz, é possível passar um longo tempo surfando no mesmo local – tudo depende da habilidade do surfista!

Surfando no rio

Surfando no rio

Se o dia estiver bonito, é possível passar o dia todo passeando pelo parque, vendo pessoas tomarem banho de sol sem roupa ou surfar no rio, comendo, bebendo, passeando de bicicleta ou de pedalinho… um parque agradabilíssimo!

Recomendo sem ressalvas o passeio no parque e na fábrica da BMW!

Já voltando para o hotel, no final do dia, resolvemos checar uma das inúmeras igrejas indicadas nos guias da cidade. Não costumamos visitar muitas igrejas durante as viagens, já que depois de um tempo as coisas ficam repetitivas (em termos de turismo e coisas novas para ver), mas há algumas construções com valor artístico e arquitetônico que nos fazem abrir exceções na regra de não ficar entrando em igrejas nas viagens.

A escolhida foi a Asamkirche, igreja construída em 1746 (término da construção) pelos irmãos Asam para uso privado. O estilo rococó e a grande concentração de detalhes nessa pequena igreja a tornam uma pequena joia encrustada no centro histórico de Munique!

Parada obrigatória para os que gostam de visitar novas igrejas, e bem interessante mesmo para aqueles que, como nós, costumam não lugar tanto para essa parte do passeio.

Asamkirche

Asamkirche

Para jantar, fomos a um restaurante italiano indicado pelo Tripadvisor como um dos melhores da cidade, o Trattoria da Fausto. Mais afastado do centro histórico, pegamos o S-Bahn até a área residencial próxima ao Englischer Garten.

A comida era boa, mas não excepcional – definitivamente não merecia uma colocação tão alta, no Tripadvisor, entre os restaurantes da cidade. É uma opção de comida italiana em um ambiente agradável, mas tenho dúvidas de justifica o deslocamento.

E assim nos despedimos de Munique – cidade encantadora e muito acolhedora.

Na manhã no quinto dia levantaríamos cedo para pegar um ônibus rumo a Praga – porque a próxima parada da viagem pela Alemanha é, na verdade, a República Tcheca!!

Não percam os próximos posts! Em breve: Praga e Berlim!

 

Beijinhos,

Madame Brum

Não perca nenhuma novidade do blog!
Preencha seu nome e e-mail abaixo e receba as novas postagens diretamente em seu correio eletrônico.